109

Mangá - Quadrinhos japoneses


Agora voltando à programação normal: Você gosta de ler mangá? Ai, pois eu adoro! Leio e coleciono desde que me entendo por gente! E o noivo então, tem uma coleção absurda (quase mil, se duvidar) de mangás! hehe. Pensando nisso, resolvi partilhar aqui um pouquinho do meu gosto pela cultura oriental, e claro, indicar para vocês um de meus mangás favoritos!


Mas o que é mangá?
Mangás são histórias em quadrinhos japonesas, ao contrário das histórias em quadrinhos convencionais, sua leitura é feita de trás para frente. Teve origem através do Oricom Shohatsu (Teatro das Sombras), que na época feudal percorria diversos vilarejos contando lendas por meio de fantoches. Essas lendas acabaram sendo escritas em rolos de papel e ilustradas, dando origem às histórias em sequência, e consequentemente originando o mangá. Essas histórias passaram a ser publicadas por algumas editoras na década de 20, porém sua fama só veio por volta da década de 40.
A produção de mangá foi interrompida durante a Segunda Guerra Mundial e retomada somente em 1945, a prática de ler mangá aumentou consideravelmente nesse período, pois com a guerra poucas atrações culturais restaram. Foi nessa época que surgiu o que podemos chamar de “Walt Disney Japonês”, o Ossamu Tezuka, criador dos traços mais marcantes do mangá: olhos grandes e expressivos. Com o passar do tempo o mangá saiu do papel e foi parar na televisão, transformando-se em animes (desenhos animados), ganhando mais popularidade e aumentando o número de fãs em todo o mundo!

Well, agora que você já deve entender um pouquinho do que se trata (espero que sim, né), vamos passar para a próxima etapa, a história! #oba


Kimi ni Todoke


Kimi ni Todoke (君に届け - Que chegue a você) é um shoujo mangá (termo usado para referir animes e mangás para garotas, estilo romance-comédia) criado por Karuho Shiina e com 8 edições atuais.
O título significa "que chegue até você"
, referindo-se ao sentimento em si. O mangá foi anunciado pela Panini no início de 2011, e em maio começou a ser publicado no Brasil!

Era uma vez...
Kimi ni Todoke conta a história de Sawako Kuronuma, uma garota gentil e doce, mas que sofre bullying de toda a sua turma por ser estranha. Sawako é pálida, magra, tem cabelos negros compridos e se parece com as tradicionais bonecas japonesas (que são assustadoras, diga-se de passagem). Por estes motivos e por causa do seu nome (Sawako) ela ganhou o apelido de Sadako, nome da protagonista da versão original (japonesa) de O Chamado. Aparentemente ninguém na escola lembra como ela se chama de verdade e todos a chamam apenas por Sadako – pelas suas costas, é claro, já que ninguém fala com ela. Boatos infundados dizem que quem olhar por mais de 3 segundos para garota ou conversar com ela é amaldiçoado e sofrerá uma desgraça em breve. Com isso Sawako não fala com ninguém e vive sozinha e esquecida. A única pessoa que fala com ela é Shouta Kazehaya, o garoto mais popular da escola. Durante o fim do primeiro semestre Kazehaya propõe a todos fazer um teste de coragem, ele quer que Sawako se junte a eles na atividade, mas ela acaba tendo um papel bem diferente do esperado.
Além deles, temos vários outros personagens, cada um com sua participação especial .junto à doce Sawako, e que no decorrer da história vão seguindo cada um seu caminho.

Kimi ni Todoke é um mangá bem especial. Ele retrata o bullying, e nos mostra a importância de se aceitar como você é. A solitária Sawako apesar de sua situação, vai conquistando amigos aos pouquinhos e aprende então, que ficar sozinha não é legal, e como é bom ter amigos de verdade! Ela é uma garota muito amável, apesar da aparência assustadora (para alguns) e da sua falta de jeito em se expressar e lidar com os outros. Bom, algumas pessoas torcem o nariz para a arte do mangá, pois acham o traço meio estranho, porém não se pode negar que o traçado da autora é excelente, muito bom mesmo! Apesar de ser um traçado mais fino e simples, ele tem uma leveza e um detalhamento incrível e peculiar. Por várias vezes fiquei admirando os desenhos, que apesar de pobre em relação a fundos e cenários, são compensados pela delicadeza e beleza do traçado!
Então, esse é um mangá muito bom mesmo, e recomendo a todos que gostem de romance/comédia! O primeiro volume é ótimo, rendeu boas risadas, e a partir daí a história vai melhorando cada vez mais! Eu conheci a história através do anime e confesso que acho simplesmente mágico, mais do que o mangá original! Talvez né, por conta das coisas se desenrolarem um pouco mais rápido na versão em quadrinhos. E mesmo assim, é uma história que super vale a pena ser lida!

Agora vamos dar uma olhada na galeria? É muito fofa!

Kimi ni Todoke versão mangá:


Kimi ni Todoke versão anime:


Kimi ni Todoke versão live-action:

Ah, não podia esquecer:
E aí, curtiram? Espero que sim!
Super beijos, e tenham uma ótima semana!
79

Bancando a cozinheira!

Olá lindonas, tudo bem? Espero que sim! Bom, hoje eu resolvi fazer diferente e vim compartilhar uma deliciosa receita pra vocês: o Bolo da Índia (ou bolo indiano). Eu, pra variar apaixonada por doces com canela, logo caí de amores por essa maravilha!  

Dei uma pesquisada na net, e vi vários meios de se preparar essa receita, não sei qual seria a mais próxima da que comi na doceria, mas graças a ajuda de minha personal chef (mamãe) que me ajudou na bagunça, o resultado ficou muuuuito bom mesmo, sério!  

Essa receita não tem segredo, e se quiser substituir a farinha de rosca pela tradicional de trigo, pode, mas não será a mesma coisa, hein? Bom, agora chega de papo, e mãos na massa!  

Bolo da Índia

Rendimento: 1 bolo (1kg).
Tempo de preparo: 40 minutos.
Grau de dificuldade: Fácil

Preparando a massa:

Ingredientes:
6 ovos
1 e ½ xícara (chá) de açúcar refinado
100g de manteiga
1 e ½ xícara (chá) de farinha de rosca
1 colher (chá) fermento em pó
1 colher (café) canela em pó

Como fazer:
1. Separe cuidadosamente, as gemas das claras.
2. Bata as claras em neve e reserve.
3. Bata as gemas com o açúcar e a manteiga até virar um creme.
4. Misture a farinha de rosca, a canela e o fermento em pó e deixe bater bem.
5. Por último, adicione as claras em neve e com uma espátula, misture suavemente.
6. Coloque a massa em uma assadeira devidamente untada com farinha de trigo.
7. Leve para assar em forno pré-aquecido a 180ºc, por aproximadamente 20 minutos, ou até que a massa esteja dourada e assada por dentro.

Preparando o recheio:

Ingredientes:
1 lata de leite condensado (350g)
2 gemas
30g de margarina
½ xícara (chá) leite

Como fazer:
1. Coloque todos os ingredientes em uma panela, misture bem e leve ao fogo brando, mexendo sem parar até ficar levemente consistente..

Montando o bolo:
1. Depois do bolo assado e frio, corte a massa ao meio e recheie.
2. Coloque a segunda parte do bolo e cubra com o recheio.
3. Polvilhe canela em pó.
4. Está pronto! Sirva e bom apetite!


Espero que tenham gostado! Embora essa receita tenha rendido pouco, o bolo ficou realmente uma delícia! Na próxima vez vou me lembrar de dobrar a quantidade, haha!

Beijos e boa semana!